Nunca pensei que os "olhos do meu coração, no dizer de S. Paulo, revelassem pormenores por mim julgados completamente esquecidos...
Quarta-feira, 12.12.07

 

                                   Estavam todos reunidos,

                                   cheios de pompa e vaidade

                                   e eis um vento que passou:

                                   não um vento de verdade,

                                   mas que a todos abalou.

 

                                   «Foi um Anjo», disse a medo

                                   um que em Deus acreditava.

                                   «Foi ilusão», disse um outro,

                                   incerto do que pensava.

 

                                   Então apagou-se a luz,

                                   calaram-se os emissores,

                                   anulou-se a tradução

                                   e tremeram os senhores.

 

                                   Olharam uns para os outros,

                                   sem saber o que seria.

                                   Começaram a falar:

                                   toda a gente se entendia!

 

                                   Falaram de fome e dor,

                                   catástrofes sem desculpa;

                                   falaram de guerra e morte,

                                   cada um se arrepiava

                                   ao pensar na sua culpa.

 

                                   Todos, todos se entenderam,

                                   sem precisar tradução

                                   e ali mesmo prometeram

                                   deixar a pompa e vaidade,

                                   criar em cada nação

                                   mais justiça e liberdade.

 

                                   Que se passou, afinal,

                                   nessa cimeira de esperança?

                                   Um Pentecostes igual

                                   ao que levou os discípulos

                                   a falar, sem tradução,

                                   de Deus-Amor aos gentios

                                   de toda e qualquer nação.

 

                                  

 

                                   Lisboa, 10-12-07

 

                                   Clementina Relvas

 

publicado por clay às 16:15 | link do post | comentar | favorito
VISITAS EFECTUADAS DEPOIS DE 23 JULHO 2012

contador de visitas
VISITAS EFECTUADAS DEPOIS DE 23 JULHO 2012

contador de visitas
Visitas desde Maio de 2007

Contador de Visitas
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
últ. comentários
Venha conhecer o nosso cantinho da escrita... Visi...
Querida Professora Acabei de ler o comentário da m...
Cara Drª Clementina Relvas,Vim hoje visitar o seu ...
Querida Vovó... ou Querida Professora:Para quem cu...
Querida Professora ,Estive uns tempos sem vir ao s...
Cara Sandra:É sempre um grande prazer e compensaçã...
Olá Cristina,tive o prazer de conhecer a su...
Dra Clementina :Fiquei feliz por receber uma respo...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Peço desculpa de só agor...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Querida Maria José:Lamen...
mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds