Nunca pensei que os "olhos do meu coração, no dizer de S. Paulo, revelassem pormenores por mim julgados completamente esquecidos...
Segunda-feira, 30.03.15

 

            Senhor, que abriste o mar

            e retiveste as águas como um dique, 

            iluminaste os Céus com luz de fogo,

            fendeste a rocha dura, erguida a pique

            e dela correu água em abundância

            para dessedentar, no deserto, o Teu povo,

            fizeste maravilhas para ele

            e a nós, Senhor, castigas-nos de novo?

            Olha, Senhor, o mundo que criaste:

            as florestas a arder, as torrentes mortais.

 

            E eu ouço que respondes, irritado:

 

             «Sois vós que a vossa herança maltratais.

             Sois vós que derrubais as vossas árvores

             por ganância e, no leito dos rios,

             construís casas, diques, obstáculos,

             sem aprender com vossos desvarios.

             Não respeitais a obra que Eu criei

             com tanto amor e tanta perfeição,

             poluís água e ar e não cuidais

             que possa ser a vossa perdição».

 

             Como são justos os preceitos de Deus

             e verdadeiras as Suas sentenças.

             Perdoa-nos, Senhor, se foi em vão

             que nos deixaste as Bem-aventuranças.

 

                       Clementina Relvas

publicado por clay às 16:16 | link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24.03.15

Quando o Senhor me chamar para Si,  

seja o meu companheiro, o bom Pastor

me conduza a lugares de águas tranquilas

e a verdes prados, fruto do Seu amor,

que me afaste dos vales tristes e escuros,

onde às vezes passei, por meu pecado.

Não me deixe ter medo de cair,

Ele que é minha vara e meu cajado.

 

Para além desta terra e dos horrores

que transformam em guerra a paz fraterna,

outra vida começa, esplendorosa,

que jamais terá fim, a vida eterna.

E pela porta estreita, em Tua graça,

perdoados meus erros, passarei.

E com a minha taça a transbordar

de amor por Ti, Contigo morarei.

 

Sim, será essa a morada escolhida

por Ti que és o meu guia e o meu pastor

para eu descansar, terminada esta vida,

em verdes prados, reino do Teu amor.

 

Clementina Relvas

 

publicado por clay às 10:21 | link do post | comentar | favorito
Domingo, 22.03.15

      Aperta-se-me no peito o coração,

      agora que estou velha

      e de cabelos brancos,

      ao recordar

      que a morte, passo a passo,

      se aproxima de mim

      para Deus me julgar.

 

     Só Ele conhece o dia,

     sabe a hora,

     em que estarei, enfim,

     sob Seu julgamento.

     Mas sei que Ele é clemente

     e compassivo

     e logo diminui

     o meu tormento.

     Peço-Lhe, «ó Deus,

     não Te afastes de mim,

     não me abandones,

     não me deixes sozinha.

     Ajuda-me a fazer Tua vontade,

     agora, que já sei

     que a morte se avizinha.

 

     Deus é a minha luz

      e a  minha salvação,

      a meta que eu passei

      a vida a procurar.

      Tem piedade, Senhor,

      estende a Tua mão,

      para eu Te encontrar».

 

          Clementina Relvas

publicado por clay às 07:21 | link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 16.03.15

 

                           Para a Senhora D. Edith Renker,

                           com muita admiração e carinho

 

 

                        Ouve, Senhor, a minha oração

                        e aceita o meu clamor.

                        Não desvies de mim o Teu olhar,

                        olha-me, sim, com o teu grande amor.

 

                        Tu deste vista aos cegos

                        Mas a mim, que acato a Tua Lei,

                        tiraste-me o olhar, deixei de ver

                        tudo o que Tu criaste e eu louvei.

 

                        Deixei de ver o Sol e as estrelas,

                        monumentos, pessoas e paisagens;

                        fui guia dos que queriam aprender

                        a conhecer-Te, nas suas viagens.

 

                        Mas agora, ó Senhor, ando perdida

                        a tactear na minha escuridão.

                        Mas amo-Te porque Tu me deixaste

                        os olhos de Te ver: “olhos do coração”.

 

                        Penso em Ti no silêncio do meu dia,

                        elevo para Ti meu louvor, minha prece,

                        e se às vezes vacilo e me interrogo

                        Tu dizes ser por bem o que acontece.

 

                        E eu acredito, ó Deus, pois muito me deixaste

                        na provação que aceito, resignada.

                        Que, com os “olhos do meu coração”,

                        eu possa ver Teu rosto, achar Tua morada,

 

                               Clementina Relvas

publicado por clay às 11:25 | link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 13.03.15

 

              A minha alma, Senhor, está perturbada,

               o meu corpo sem forças e doente.

               A dor turva-me a vista e envelheço,

               não quero acreditar que Tu estejas ausente.

 

               Há os que sofrem por não terem pão

               por não terem um tecto onde viver.

               Há os que têm tudo o que o dinheiro

               lhes pode facilmente oferecer.

                      

               Há os bons, inocentes, desvalidos

               que sofrem injustiças, tanta vez

               e há os maus, os soberbos, que prosperam

               e Tu, Senhor, parece que não vês.

 

               Mas não, Tu sabes tudo o que se passa

               à nossa volta e em nosso coração.

               Escuta, ó Deus, todo o que a Ti se acolhe,

               alivia-lhe a dor, cobre-o com a Tua mão.

 

               Liberta-o da angústia que o esmaga

                seja ele pobre, rico ou pecador.

                Afasta, para longe, a Tua ira,

                tem compaixão de nós,

                perdoa-nos, Senhor.

                            

                                 Clementina Relvas

publicado por clay às 11:53 | link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 09.03.15

Ajuda-me a falar, Senhor, ajuda-me a falar,

que a minha voz é rouca, baça, sem fulgor..

E, para anunciar todas as Tuas obras

dá-me sabedoria e enche-me de amor.

 

Não me deixes, Senhor, ser o sino rachado

que, julgando cumprir sua ingente missão,

desafina e perturba todo o vale e montanha

que, em silêncio, desfia em paz, sua oração.

 

Eu preciso, ó Senhor, do meu coração puro,

purificado por Ti, e que a Tua vontade

se sobreponha sempre à minha tibieza

para que a minha voz se alegre na Verdade.

 

E que, bem afinada, espalhe aos quatro ventos

Tuas grandezas, Teu poder, quanto Tu és 

e como não aceitas sacrifícios, ofertas,

eis-me, Senhor, humilde, ajoelhada a Teus pés.

 

Faz, ó Senhor, da minha voz a Tua voz.

Incute nela àqueles que Te querem seguir

as palavras de vida e salvação de amor,

que perdoam e animam o que quer desistir.

 

E só assim, Senhor, eu merecerei cantar-Te,

ser Teu novo salmista, ser Teu trovador:

Que minha alma, inundada de santa alegria,

seja um contínuo Hossana em Teu louvor

 

                            Clementina Relvas

publicado por clay às 23:54 | link do post | comentar | favorito
Sábado, 07.03.15

                                     QUE MUNDO É ESTE?

 

 

            Quando eu era pequena, com espanto de quantos me rodeavam, perguntei à minha Mãe:

            - Ó Mãe, que mundo é este?

            - A minha Mãe pensou um pouco e respondeu:

            - Filhinha, este é o nosso pequeno mundo, uma aldeia minúscula, mas onde há muitos pequenos mundos, um mundo para cada um de nós…

            - Como assim, se, hoje, na escola, estive que tempos a observar todos os mapas e nem sombra do nome da nossa aldeia!

            - Eu disse-te que era uma aldeia minúscula e os mapas só registam terras grandes (cidades vilas e as raras aldeias com grande valor histórico ou monumental)

            - E os nossos pequenos mundos? Eu nem sei com o é o meu…

            - Olha para ti. Como te vês?

            - Sou pequenina, morena, tenho cabelo escuro e muitos, muitos sonhos. Tu dizes que eu sou teimosa, mas a minha professora apresenta-me aos meus colegas como muito apegada às minhas ideias, aplicada e sempre disposta a levar os meus projetos até ao fim…

            - E esse teu coraçãozinho, que, na verdade, é o centro do teu mundo, como é que te parece?

            - Sei que gosta de ti, do pai, dos meus irmãos, dos meus coleguinhas e, se pensar bem, de toda a gente que conheço e que também acho que gosta de mim. Gosto de tratar bem os animais, de ir dar comida à galinhas e de te ajudar, aos sábados, a distribuir pão e azeite a todos os mendigos que vêm das suas aldeias, pobres e distantes, em busca de alguma coisa que os ajude a sobreviver. E sabes como fico triste com aquele rapaz que vem estendido sobre o seu burrinho, porque nasceu todo torto e a quem tu sempre dás um prato de sopa (que tens de lhe meter na boca com uma colher). Também sabes como gosto dos velhinhos, especialmente da Senhora Alda, quase ceguinha e que, quando volto da Escola, me aguarda todos dias para eu lhe enfiar as agulhas com linhas de várias cores. Tenho muita pena dos doentes e fico muito triste quando alguém morre e vejo toda a família numa grande aflição. Como quando morreu, num acidente, com cinco anos, o meu irmãozinho Zeca, assunto de que não quero falar.

            Mas também gosto de brincar: de jogar às escondidas, à macaca e

com as lindas bonecas que tu me fazes: um ramo seco de oliveira, com dois ramos mais pequenos a fazer de braços, uma cabeça de algodão em rama, envolta num pano claro, onde pintas os olhos, a boca as orelhas, o nariz e toda vestida pelas roupas que lhe fazes, sempre diferentes e que tanto me encantam.

            Ah! Já me esquecia! A maior parte do meu mundo são as leituras:

os textos dos livros escolares e também aqueles livros já um pouco usados, que o tio António comprou quando veio do Brasil: Os Lusíadas, o que conta a vida de Genoveva de Brabante, coitadinha, uma senhora nobre a ter de viver no  meio da floresta com o filho pequenino a ser amamentado por uma corça, um livro de contos, onde conheci a Carochinha, a Branca de Neve, o João Ratão o Ali. Babá e os quarenta ladrões e poucos mais que o dinheiro era preciso para outras necessidades.

            E olha! Afinal o meu mundo não vem no mapa, mas afinal é tão grande e variado, que me fico por aqui, pois tu já estás cansada da minha tagarelice e tens muito que fazer.

           

           Lisboa, 7 de Março de 2015

 

                  Clementina Relvas

 

publicado por clay às 00:17 | link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 06.03.15

«Não tenhas medo», dizes Tu, com voz segura,

Tu, que és a fonte da nossa esperança.

«Afasta-Te do mal, pratica o bem

e viverás na minha segurança.

 

Confia em Mim e segue os meus caminhos»

que hei-de fazer de ti o meu herdeiro.

E se desanimares, julgando-te sozinho,

perante Mim serás sempre o primeiro.

 

«Afasta-te dos maus», que proliferam

como árvore frondosa mas fatal.

Enchem-se de soberba e esse veneno

pode mudar-te a rota para o mal.

 

Mas tu «Não tenhas medo», estou contigo:

farei que sejam firmes os teus passos.

O mal desapareceu, desapareceu o perigo,

vem acolher-te, filho, nos meus braços.

 

  Clementina Relvas

publicado por clay às 10:10 | link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 04.03.15

O homem rico brilha na escuridão

como uma luz, se for recto e bondoso:

se emprestar sem usura e em seus negócios,

se revelar honrado e generoso.

 

Se for fiel a Deus e aos Seus preceitos

e repartir com os necessitados

se souber aceitar tudo o que tem

tal um tesouro que lhe foi emprestado.

 

Foi-lhe emprestado para o pôr a render

usando os seus talentos, sem ter medo

de Deus quando Ele lhe perguntar

que fez do seu tesouro, tarde ou cedo.

 

Se não souber gerir sua fortuna

e a esconder, fechada numa tulha,

terá mais custo em alcançar o Céu

que um camelo em passar por uma agulha.

 

Mas se a fez prosperar e a repartiu

com os que lhe pediram seu auxílio,

será como uma luz na escuridão

ou como a liberdade no exílio.

 

Por isso, ó Deus, derrama a Tua bênção

sobre o rico que palmilha os Teus passos,

pois será pobre no seu coração

e, assim, recebido nos Teus braços.

 

Clementina Relvas

 

publicado por clay às 09:46 | link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 03.03.15

Não Te zangues comigo, ó meu Deus,

não desvies de mim o Teu olhar!

Diz-me o que queres que eu faça

pois bem sabes que Te ando a procurar.

 

Guia-me , ó Deus, por Teu reto caminho,

ainda que me custe alguma dor.

Este, que eu piso, está todo minado

pela ânsia de ter o que é melhor.

O que é melhor, ó Deus? Nossos critérios

tudo avaliam por seu peso em ouro.

E esquecem os conselhos que nos deste

para, no Céu, juntarmos um tesouro.

 

Parar um pouco a nossa correria,

olhar os lírios e os passarinhos:

não semeiam, não colhem e, contudo,

têm trajes de festa e refúgio em seus ninhos.

 

Foi preceito de Deus que o homem tinha

de se manter com o suor do seu rosto.

De se manter a si e ao que dele se aproxima

com o mesmo afã que em si teria posto.

 

E quem partilha agora, quem, Senhor,

o pão e tudo o mais que faz sua riqueza?

Quem se importa de Lázaro, a implorar

as migalhas que caem sob a mesa?

 

Por isso Te suplico, ó Senhor,

não desvies de mim o Teu olhar,

não me deixes vencer pelo egoísmo,

ensina-me, Senhor, a partilhar.

 

              Clementina Relvas

 

publicado por clay às 16:00 | link do post | comentar | favorito
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
17
18
19
20
21
23
25
26
27
28
29
31
últ. comentários
Venha conhecer o nosso cantinho da escrita... Visi...
Querida Professora Acabei de ler o comentário da m...
Cara Drª Clementina Relvas,Vim hoje visitar o seu ...
Querida Vovó... ou Querida Professora:Para quem cu...
Querida Professora ,Estive uns tempos sem vir ao s...
Cara Sandra:É sempre um grande prazer e compensaçã...
Olá Cristina,tive o prazer de conhecer a su...
Dra Clementina :Fiquei feliz por receber uma respo...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Peço desculpa de só agor...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Querida Maria José:Lamen...
mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds