Nunca pensei que os "olhos do meu coração, no dizer de S. Paulo, revelassem pormenores por mim julgados completamente esquecidos...
Terça-feira, 27.03.12

            

 Ainda há pouco tinha aprendido a ler quando, um dia, no meio das terríveis notícias da II Grande Guerra que o meu Avô escutava avidamente, me apareceu, no Jornal de Notícias, um breve conto que me causou a maior das estranhezas; um grupo de crianças, mais ou menos da minha idade, empenhava-se num jogo muito estranho: a caça aos ovos da Páscoa. Os adultos escondiam-nos aqui e ali, detrás dos lilases e das coroas de noiva dum belo jardim, e o vencedor era o que descobrisse o maior número do, para mim, extravagante troféu. Eu só conhecia os “ovos de oiro” da lenda contada e recontada pela minha Mãe e em cuja existência muito me custava a acreditar. E apertava-se-me o coração ao imaginar que o ignorante lavrador, para enriquecer rapidamente, matava a famosa galinha que, além de dois ovos banais, apenas o consolara com uma saborosa canja.

 

            Ora, tudo isto, exceto os ovos de oiro, claro, fazia parte do meu dia a dia, enriquecendo, quer fossem cozidos, estrelados ou mexidos refeições habituais na nossa mesa. Ah! E falta falar da grande tijela de barro onde, durante a Quaresma, se iam acumulando os ovos que haviam de entrar na confeção do folar da Páscoa, ou mais correntemente falando, a bola da Páscoa que não era doce, mas feita em três camadas de massa fofinha, separadas por um recheio de presunto, chouriço, frango guisado, e, depois de lêveda, pincelada com gemas de ovo batidas, que pareciam

provir dos tais ovos de oiro da lenda.

 contador gratuito

sinto-me:
publicado por clay às 23:06 | link do post | comentar | favorito
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31
últ. comentários
Venha conhecer o nosso cantinho da escrita... Visi...
Querida Professora Acabei de ler o comentário da m...
Cara Drª Clementina Relvas,Vim hoje visitar o seu ...
Querida Vovó... ou Querida Professora:Para quem cu...
Querida Professora ,Estive uns tempos sem vir ao s...
Cara Sandra:É sempre um grande prazer e compensaçã...
Olá Cristina,tive o prazer de conhecer a su...
Dra Clementina :Fiquei feliz por receber uma respo...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Peço desculpa de só agor...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Querida Maria José:Lamen...
mais sobre mim
blogs SAPO