Nunca pensei que os "olhos do meu coração, no dizer de S. Paulo, revelassem pormenores por mim julgados completamente esquecidos...
Segunda-feira, 08.03.10

CamContador freeisetas

 

      

                A abelha dourada esvoaçava à sua volta. A flor em botão escutava o seu zumbido mas não percebia. Era ainda muito nova. Nascera naquela manhã, não tinha experiência da vida.
                Depois, com o calor, uma das suas pétalas entreabriu-se um pouco, mas a abelha continuava a implorar: zzz-zzz-zzz.
                Ao fim de algum tempo, a rosa começou a compreender, pois as rosas sabem falar vária línguas, entre elas as das abelhas. De resto, toda a gente via logo qual era o intenso desejo da abelha.
                A rosa abriu-se um pouco mais e a abelha não se poupava a esforços para atingir o seu fim: chegar ao coração da rosa. E, ao fim de algum tempo, era já um lamento o seu zumbido: z- z- z…     
Finalmente, a rosa compreendeu. Mas gostava tanto de ver as outras flores,  as borboletas e toda a vida que se agitava à sua volta, naquele dia de sol, com o regatinho a brilhar por entre os juncos, que não se decidia a abrir, generosamente, as suas pétalas. Tinha medo da morte. Amava a vida.
A abelha já quase nem tinha forças para zumbir, pedindo o pólen. Estava morta de fome e de cansaço. Mas a rosa fechava-se na sua juventude recente e no seu apego às margaridas da margem do regato, a brilhar ao sol, embora uma vozinha, dentro de si, lhe censurasse, nem ela sabia bem o quê.
Zzzzzz- zzzzz- zz- z…
Então as pétalas abriram-se espontaneamente e, quando à tardinha, um sopro de vento a desfolhou, adormeceu feliz, junto ao regato, que mansamente cantava, entre os juncos da margem, o louvor daquela vida breve mas fecunda.
                                                                                             
          Lisboa, há tantos anos que já nem sei
                          Clementina Relvas
tags:
publicado por clay às 11:29 | link do post | comentar | favorito
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
posts recentes

LOUVOR DA VIDA BREVE

últ. comentários
Venha conhecer o nosso cantinho da escrita... Visi...
Querida Professora Acabei de ler o comentário da m...
Cara Drª Clementina Relvas,Vim hoje visitar o seu ...
Querida Vovó... ou Querida Professora:Para quem cu...
Querida Professora ,Estive uns tempos sem vir ao s...
Cara Sandra:É sempre um grande prazer e compensaçã...
Olá Cristina,tive o prazer de conhecer a su...
Dra Clementina :Fiquei feliz por receber uma respo...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Peço desculpa de só agor...
Lisboa, 20 de Maio de 2011Querida Maria José:Lamen...
mais sobre mim
blogs SAPO